27 de janeiro de 2011

O homem a janela

Eu o vejo à janela.
Se afogando em seus pesadelos.
Fugindo de si mesmo.

Ele era apenas um menino,
quando a maldade humana se apossou de seu
sorriso.

Não o vejo sorrindo.
Ele esta sempre a espera.
Sempre na mesma janela
Contemplando o fim de seus dias.


Um comentário:

  1. ah, querida... grande escritora... faz com que as palavras escritas tomem vida em nossa imaginação ;)

    belíssimo poema

    ResponderExcluir