21 de julho de 2011

Parado

Tenho andado cansado, afoito, complexado.
Tenho andado perdido, achado, ambíguo.
Todas estas tardes vazias perdidas ao vento.
Todas essas palavras cheias de qualquer sentimento.
Todo esse eu embasbacado, envergonhado.
Todo esse eu esquecido, lamentado, forjado.
Tudo tão perdido.
Tudo tão sem sentido, sem sentimento, minh'alma ao relento.
Me pego andando, ainda sentado.
Me pego calado, ainda falando.
Me pego pensando mesmo sabendo que estou sendo julgado.



2 comentários:

  1. não sei, mas os ultimos tres versos, encheram meus olhos d'agua. Faça mais disso.

    ResponderExcluir